Invasion of the Body Snatchers – Os Invasores de Corpos: O Entorpecimento Emocional

O texto abaixo é um trecho do artigo contido no livro "ALÉM DA SINOPSE", escrito pelo Especialista em Sociologia e Educação Roberto Guimarães e por mim.



Para ler o texto completo, além de outros artigos como este, adquira o livro "ALÉM DA SINOPSE".  Maiores informações: contato@grupoprojetar.com ou whatsapp (12) 98116.0634





AVISO: o texto abaixo contém SPOILERS.

O filme Os Invasores de Corpos é uma ficção na qual organismos extraterrestres chegam à Terra e se adaptam, inicialmente, como plantas que “produzem” cópias de seres humanos, aparentemente com o intuito de substituir as pessoas originais e dominar o planeta.

O clima de suspense na obra é muito interessante, o que, por si, só, já é suficiente para fazer valer o filme. Porém, o simbolismo que retrata as mudanças pelas quais a humanidade vem passando ao longo das últimas décadas, com o rápido avanço do desenvolvimento industrial e tecnológico e as consequências para as relações sociais, impacta bastante.

Uma personagem colhe uma flor estranha e a leva para casa. Acorda no dia seguinte e não consegue reconhecer seu marido. Ele está lá, em carne e osso, mas não é o mesmo. Segundo ela, está “frio” em suas expressões emocionais. Ao contar para um amigo, este acredita se tratar de algum conflito psíquico que estaria fazendo-a enxerga-lo de maneira diferente e sugere que consulte um psiquiatra, conhecido seu.