The Village – A Vila: A Invenção das Tradições


O texto abaixo é um trecho do artigo contido no livro "ALÉM DA SINOPSE", escrito pelo Especialista em Sociologia e Educação Roberto Guimarães e por mim.


Para ler o texto completo, além de outros artigos como este, adquira o livro "ALÉM DA SINOPSE".  Maiores informações: contato@grupoprojetar.com ou whatsapp (12) 98116.0634


AVISO: o texto abaixo contém SPOILERS.

A Vila é um filme interessante dentre outros que a mente criativa de Mr. Night Shyamalan foi capaz de conceber. Aparentemente de época, a trama se passa num vilarejo pequeno e simples, localizado em meio à floresta. Sentinelas vigiam permanentemente os arredores para garantir que nenhuma ameaça adentre a comunidade.

Conforme se desenrola a história, percebe-se que os temores da população que ali habita estão relacionados à invasão de “monstros”, se assim podemos dizer. Aqueles que permanecerem dentro dos limites que separam a vila da floresta estarão seguros. Porém, segundo consta a lenda, quem invadir o território das feras pode não somente se machucar, mas instiga-las à retaliação. 

Um morador é ferido por acidente e precisa de atendimento médico. Os fundadores da pequena sociedade conhecem uma solução para o problema, mas precisam de alguém para realizar a missão de buscar medicamentos. Decidem, então, compartilhar com uma jovem voluntária os segredos relacionados à fundação da comunidade para que ela pudesse ser bem sucedida na tarefa.

Ela, cega, parte rumo à floresta até que se depara com um muro. Ao transpô-lo, caminha por seu perímetro quando um Jipe aparece e a aborda. Tal acontecimento pode parecer estranho ao espectador, uma vez que o filme se remetia a tempos mais remotos, anteriores ao motor à combustão. Ele é um indicativo de que a vila foi construída para simular o passado, apesar de se situar no tempo atual.

Um pequeno grupo de pessoas amarguradas pelas perdas sofridas com a violência decide estruturar seu próprio mundo – a Vila – dentro da enorme propriedade que lhes pertencia. O intuito era evitar qualquer contato com o mundo real e construir uma sociedade diferente, capaz de impedir os infortúnios dos quais foram vítimas no passado.