Au Mom de Ma Fille - Kalinka: Os Efeitos da Culpa e a Negação da Realidade


Artigo escrito por Roberto Guimarães, Especialista em Sociologia e Diretor do Grupo Projetar - Evolução Pessoal, e por mim, em parceria com o site i9vadore.




AVISO: o texto abaixo contém SPOILERS.

Kalinka é um filme baseado na história real de um pai que luta por mais de 30 anos pela condenação do suspeito de estuprar e matar sua filha adolescente. O acusado é o padrasto da menina, que tinha apenas 14 anos quando foi atacada.

Kalinka e seu irmão moravam com o pai. Sua mãe, após ter sido flagrada por este cometendo adultério, passa a morar com o amante em outro país. Enquanto os jovens visitavam a mãe, o pai recebe uma ligação que anunciava a morte da menina.

Inicialmente, o padrasto não levantou suspeitas pois a morte parecia ter causas naturais. Era médico e alegou ter feito tudo para salvar a menina. O pai, surpreso pelo acontecimento, buscava compreender as causas dessa desgraça. Ao receber o relatório da autópsia, percebe que a história que envolvia o acontecimento era mais complexa: havia sinais de relação sexual forçada.

Imediatamente procura se informar sobre os procedimentos que o padrasto havia realizado na garota no dia de seu falecimento, supostamente com o intuito de reanima-la. É alertado de que as ações do médico não condiziam com o quadro clínico da jovem. Além desta contradição, o pai acha estranha a presença do padrasto no dia da autópsia e passa a acreditar ser ele o assassino de sua filha.